Siga a Oficina no seu e-mail!

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Questionamentos sobre as denúncias contra Lula

 
Para além de torcidas, posicionamentos, slogans, powerpoints e convicções, creio que alguns questionamentos precisam ser traçados, sem parti pris, em torno dos recentes desdobramentos da Lava-Jato:

1) Todos os documentos arrolados pela investigação são autênticos? Nesse caso, que tipo de explicação plausível poderia ser estabelecida em torno desse conjunto documental?

2) Algum dos documentos é forjado? Qual ou quais? Quais seriam as implicações dessa(s) falsificações em relação ao conjunto da denúncia? Caso existam, forjados por quem e para quê?

3) É procedimento padrão entre as grandes empreiteiras manter imóveis "reservados" - nem vendidos, nem à venda?

4) Para quem estaria efetivamente "reservada" a tal cobertura?

5) Por que o imóvel inicialmente contratado pela família Lula foi posto novamente à venda? A família estava ciente desse procedimento? Por que motivos, aparentemente, as pendências relativas a esse negócio foram resolvidas apenas em novembro de 2015?

6) Por que o pagamento das parcelas foi interrompido em 2009? Quais foram as consequências dessa interrupção?

7) Em que data, exatamente, a família Lula iniciou sua ação judicial relativa ao reembolso dos valores despendidos na aquisição do imóvel? Por que demorou tanto tempo a resolver a situação? Que medidas extrajudiciais foram tomadas antes disso? Essas medidas extrajudiciais foram devidamente documentadas?

8) É procedimento comum que altos executivos de uma empreiteira e até seu presidente apresentem pessoalmente um imóvel a um potencial cliente?

9) Se o imóvel já estava "reservado" para alguém (quem?), por que ele foi apresentado duas vezes à família Lula?

10) De que maneira as duas visitas documentadas à cobertura durante a reforma se relacionam à prévia aquisição de imóvel no mesmo condomínio?

11) É comum que membros de alto escalão de uma empreiteira do porte da OAS se encarreguem pessoalmente da aquisição de cozinhas planejadas para clientes e resolvam tais assuntos por sms?

12) Quem era a "Dama" mencionada em sms, para a qual foi adquirida a cozinha?

13) É comum que uma empreiteira adquira mobília e eletrodomésticos para um imóvel reservado-mas-não-vendido?

14) É comum que empreiteiras como a OAS banquem para terceiros 21 meses de aluguel de guarda-móveis, por mais de um milhão de reais?

15) Que motivos legítimos a empresa OAS teria para prestar tamanha gentileza ao ex-presidente Lula? Nenhuma contrapartida era esperada?

16) Por que motivo o ex-presidente Lula aceitou essa gentileza? Tal aceitação por parte de uma liderança partidária de grande envergadura merece maiores esclarecimentos? Tal atitude poderia ser considerada imprudente?

17) Que tipo de mediação Paulo Okamoto, do Instituto Lula, exercia exatamente nessa relação?

P.S: Li quase todo o texto da denúncia contra Lula, e li integralmente a parte onde são apontadas as provas. Não tenho conhecimento jurídico suficiente para avaliar a consistência formal do texto, a tipificação penal ou a admissibilidade das provas perante um tribunal. Todavia, minha impressão inicial é que só existem duas hipóteses possíveis: A - Lula estava envolvido pessoalmente em esquemas de corrupção; B - A força-tarefa da Lava-Jato realizou falsificação de documentos em massa. Ambas hipóteses são tristes e preocupantes, em sentidos diferentes.

Nenhum comentário: